(15) 3532-3523 (15) 998147-0102 | contato@viaparkurbanismo.com

Descubra 5 vantagens da cerca viva para sua casa

De 1 de fevereiro de 2019Construção
Cerca Viva

As cercas vivas são um grupo de plantas que podem ser podadas para adquirirem aparência de cerca. O principal objetivo dessa técnica é a ornamentação paisagística das áreas comuns em loteamentos residenciais, assim como dos limites entre vizinhos. Entretanto, os lares recebem muitas vantagens da cerca viva.

Quer saber mais detalhes sobre o processo de instalação e manutenção, assim como os benefícios que a cerca viva traz à sua residência? Então, não deixe de acompanhar nosso artigo. Boa leitura!

Quais cuidados ter com a cerca viva?

Apesar de a cerca viva ter um conceito simples, é preciso alguns cuidados para que ela tenha o efeito desejado e proporcione todos os benefícios que tem capacidade. Abaixo, apresentamos os principais cuidados em relação a escolha das espécies, plantio e manutenção das cercas vivas.

Espécies

Há várias espécies que podem ser indicadas para formarem uma cerca viva. Porém, o melhor é aconselhar-se com um profissional da área, como jardineiros e paisagistas, para escolher a planta ideal para seu terreno e propósito. Veja algumas opções de cercas vivas e suas principais características:

  • amor agarradinho: essa planta é a mais utilizada quando já há cercas físicas, como de arames, pois ela se entrelaça ao objeto, acompanhando seu comprimento e altura. Na primavera ela fica toda enfeitada de flores nas cores branca e rosa, é só escolher na hora do plantio;
  • buxinho: esse tipo de cerca viva é muito utilizada para bordas baixas de jardim, pois suas folhas favorecem o trabalho de topiaria (podas do topo) e podem formar variados desenhos. O buxinho atinge 5 metros e é versátil, se encaixando em diferentes tamanhos de espaço, porém tem crescimento lento;
  • murta: esta é uma ótima opção para delimitar áreas privativas, pois seu caule é grosso e ramificado, formando uma cerca entrelaçada, dificultando a visão e dando privacidade;
  • bambu: por crescer rápido, ser denso e atingir alturas enormes, o bambu é ideal para áreas em comum, como caminhos verdes nos condomínios residenciais ou jardins japoneses nas áreas de lazer;
  • sansão do campo: esta planta é a mais utilizada para delimitar terrenos, pois seu é crescimento é rápido, além de ser vigoroso e ter espinhos desde a raiz. Se a intenção é bloquear parcial ou completamente a visão, o sansão do campo pode cumprir facilmente qualquer uma delas, adaptando-se conforme a poda.

Instalação

A instalação do projeto de cercas vivas varia conforme a espécie escolhida. Se prefere uma espécie que acompanha estruturas com facilidade, como o amor agarradinho, é necessário primeiro instalar a infraestrutura na qual a planta se apoiará e, então, iniciar o plantio.

Outra questão importante é sempre observar o local onde irá plantar e cultivar sua cerca viva. Isso porque algumas espécies, como o bambu, criam raízes profundas e, por isso, são ideais para grandes áreas. Assim, evita-se danos às infraestruturas, como calçadas e encanamentos.

Já para o plantio o ideal é que ele seja feito em zigue-zague, pois isso evita que, durante o crescimento, apareçam “buracos” nas cercas vivas.

Quando o plantio é feito em linha reta, as cercas tendem a criar espaços vazios entre um pé e outro. Já no plantio em zigue-zague, há melhor aproveitamento do crescimento das ramificações e folhas, para que preencham esses espaços que surgem naturalmente.

Manutenção

A poda, acompanhada de regas e adubagens, depende da espécie e dos objetivos da cerca viva. Há espécies que necessitam de mais água e adubagens mais espaçadas. Assim como outras espécies a poda é mais exigente que a frequência da rega.

Por isso, é evidente que é necessário pesquisar bem sobre a espécie escolhida e consultar profissionais especializados no assunto de jardinagem e paisagismo.

De maneira geral, as podas são menos frequentes no inverno, pois é quando as plantas têm desenvolvimento mais lento. Além disso, se você deseja uma cerca viva mais densa e fechada, também é bom espaçar os períodos de poda.

Quais vantagens a cerca viva traz para a residência?

Há muitos benefícios nas cercas vivas como escolha para compor a paisagem da sua residência. A principal vantagem é a estética trazida pela aparência natural, pois as cercas vivas se misturam facilmente à flora local.

Entretanto, há outros pontos positivos. Abaixo, listamos 5 vantagens da cerca viva para sua casa.

1. Divisão natural nas áreas comuns e entre vizinhos

As cercas vivas são muito utilizadas para delimitar áreas comuns, pois trazem o convívio com a natureza para dentro das comunidades residenciais. Já para as delimitações entre vizinhos, é uma maneira cordial e harmoniosa de construir barreiras.

Apesar da mesma intenção — limitar espaços, dar privacidade e segurança — a mensagem recebida pelas situações é diferente para os vizinhos.

Levantar um muro pode ser visto como uma forma de afastar a convivência social e integração dos moradores próximos. Porém, quando inicia-se o cuidado com a terra e plantio da cerca viva, você está dizendo que quer respeitar o espaço de ambos os lados.

2. Ornamentação e paisagismo

Já falamos da estética, mas a ornamentação e paisagismo dos jardins é outra questão relevante. Além de serem esteticamente agradáveis, o paisagismo torna a ornamentação dos espaços primordial para o conforto e bem-estar dos residentes.

É importante que os ambientes da casa, inclusive áreas externas, deem a sensação de conforto para seus moradores. O contato com a natureza nos ajuda a relaxar e aliviar o estresse do trabalho e estudos. O conforto é parte fundamental para complementar essa experiência que garante mais qualidade de vida.

3. Controle natural do ambiente

Às vezes é necessário controlar algumas características dos ambientes das nossas casas, como áreas que recebem muito barulho da rua. Há espécies de plantas que são ideais para esse uso, abafando o excesso de ruído.

O principal é escolher espécies com ramificações densas, além de plantar e podar corretamente, para favorecer o crescimento correto.

Assim como, outras espécies favorecem o controle do microclima — aquele que predomina em pequenas áreas e regiões. Com as técnicas corretas, é possível transformar as cercas vivas em fonte de sombra e frescor. Além disso, a densidade das plantas favorece a dissipação do calor em áreas externas.

O vento é outro fator climático que pode ser controlado com as cercas vivas. Os quebra-ventos precisam de uma pequena estrutura para manterem-se firme durante as épocas em que o vento é mais forte.

E o ponto principal, para todas as estratégias apresentadas, é o plantio e a poda da espécie escolhida.

4. Custo baixo de manutenção

A manutenção das cercas vivas é bem mais em conta do que das demais cercas. Mesmo para quem deseja contratar profissionais especializados para fazerem o processo de cultura da cerca viva.

Os custos envolvidos na manutenção de um jardim são inferiores aos envolvidos em um portão eletrônico de estrutura metálica, por exemplo.

A facilidade para cuidar e desenvolver a cerca viva é o que mais chama atenção nas técnicas de manutenção. O primordial é conhecer a espécie e ter certeza de ter escolhido a opção certa para seu objetivo. A natureza se encarregará da parte principal.

5. Mais segurança e privacidade

A escolha de espécies densas e com crescimento rápido é importante para obter esse benefício. Por isso que a sansão do campo é a mais escolhida para ter mais segurança e privacidade com as cercas vivas. Além da densidade, essa planta tem espinhos em seus galhos, dificultando a passagem de intrusos.

Existem muitas vantagens da cerca viva para delimitar espaços em comum ou fronteiras com vizinhos. O mais importante é conhecer a espécie escolhida e consultar-se com um profissional paisagista para obter os melhores resultados.

Deixe um comentário em nosso artigo contando qual espécie você escolheu para a sua cerca viva!

Deixe uma resposta

Open chat
Powered by