(15) 3532-3523 (15) 998147-0102 | contato@viaparkurbanismo.com

Investimento imobiliário: quais os principais tipos e vantagens?

De 19 de julho de 2019Construção
investimento-imobiliario

O investimento imobiliário é considerado um negócio promissor e vantajoso. Trata-se de um ramo que está sempre em alta devido à segurança e às grandes chances de valorização que oferece.

Nesse sentido, a maneira convencional de investir nesse segmento é por meio da compra direta de um bem imóvel com o objetivo de utilizá-lo para a renda passiva ou a construção de uma propriedade e sua posterior revenda por um preço superior. Além disso, é uma boa opção para quem deseja construir um patrimônio sólido de imóveis e com grande potencial de valorização.

Entretanto, há ainda outra possibilidade de investimento imobiliário que vem ganhando cada vez mais destaque no cenário de investimentos brasileiro. Trata-se do investimento indireto por meio de ativos e títulos de empreendimentos imobiliários. Nesse caso, não há a exigência de dispor de uma grande quantia para começar a aplicar nesse tipo de negócio (diferentemente da compra de imóveis).

Esse tipo de aplicação financeira permite a diversificação da carteira de investimento e apresenta diversas vantagens, mas também envolve riscos. Portanto, é importante conhecer um pouco melhor sobre o mercado de imóveis antes de investir o seu capital nesses títulos para alcançar um rendimento satisfatório.

Quer investir nesse ramo mas ainda tem dúvidas? Nós vamos ajudá-lo nessa tarefa. Este artigo tem o objetivo de apresentar como funciona, as vantagens e as principais informações envolvendo os tipos de investimento imobiliário existentes. Boa leitura!

Como funcionam os investimentos imobiliários?

Antes de tudo, é importante entender que o investimento consiste na aplicação de algum recurso com o objetivo de angariar um retorno financeiro maior do que aquele que foi originalmente aplicado. Nesse sentido, há as aplicações consideradas fixas e as variáveis.

A aplicação fixa apresenta um rendimento que é fixado no momento em que ocorre a compra do título, ou então ela oscila conforme o índice de referência (taxa de juros ou taxa SELIC, por exemplo).

Por sua vez, a aplicação variável consiste em um investimento que não apresenta um rendimento determinado, ou seja, é variável. Assim, a rentabilidade do título leva em consideração alguns elementos, como a situação da economia. Desse modo, como há um risco de ocorrência de instabilidades, essa aplicação oferece rendimentos maiores ao longo do tempo.

Logo, o investimento imobiliário apresenta qualidades que envolvem a renda fixa e a renda variável. Assim, se alguém comprar um imóvel e quiser alugar esse bem por um determinado valor, vai receber um aluguel mensal, acrescido da correção anual, estabelecida pelo índice IGP-M. Essas características se assemelham ao lucro fixo.

Por sua vez, os casos em que ocorre a valorização de um imóvel podem ser imprevisíveis, uma vez que se sujeita a alguns elementos, como a taxa de juros, a liquidez e a situação da economia. Nesse sentido, o investimento imobiliário é parecido com a renda variável.

Como fazer um investimento imobiliário?

A maneira tradicional de investimento no mercado imobiliário é pela compra direta de um imóvel para ser alugado e servir como fonte de renda passiva, ou ser vendido por um valor maior no futuro. Contudo, há outras formas de se investir em imóveis indiretamente, por meio de títulos e ativos referentes a empreendimentos imobiliários.

Assim, o investimento de forma direta em empreendimentos imobiliários acaba se tornando menos vantajoso e atraente, se formos comparar com os ativos e títulos financeiros referentes ao setor de imóveis. Confira alguns exemplos nesse sentido.

Fundos Imobiliários

Os fundos imobiliários são investimentos realizados por investidores que não têm capacidade de adquirir um imóvel de forma individual. Assim, esses indivíduos aplicam seu capital em cotas de empreendimentos, como shoppings, prédios comerciais, hotéis, condomínios e lotes residenciais, compra de terreno etc.

Assim, cada participante do investimento adquire uma determinada cota de fundo imobiliário na exata proporção do capital que investiu. A maioria desses fundos é negociada na bolsa.

Títulos de Crédito Imobiliário

São títulos de renda fixa pertencentes a instituições financeiras e baseados em créditos imobiliários. Assim, o investidor emprega o dinheiro para uma instituição financeira (o banco) que o reutiliza para a construção e a aquisição de imóveis.

Desse modo, uma parte dos lucros e juros que o banco recebe vai para os investidores como rendimento. Esse é basicamente o trâmite dos seguintes títulos disponíveis no mercado:

  • LCI (Letras de Crédito Imobiliário);
  • CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários);
  • LH (Letras Hipotecárias).

Como está o mercado imobiliário atualmente?

O mercado imobiliário apresenta uma projeção positiva para os próximos anos. A perspectiva é que a economia passe por uma nova expansão, sob a direção do novo governo federal. Na verdade, esse mercado é formado por várias etapas: expansão, excesso, recessão e recuperação.

Desde 2017 o setor passa por um processo de recuperação. Atualmente, ele vem se expandindo e apresentando um crescimento gradativo e substancial. Estima-se que as vendas cresceram em um percentual de aproximadamente 10% no ano passado.

Essa melhora se deve a diversos fatores, como:

  • a queda da inflação;
  • a diminuição da taxa de juros e de financiamento;
  • o aumento do PIB;
  • as expectativas positivas para o cenário do político para os próximos meses.

Tudo isso contribui para que os empresários e investidores do ramo se sintam confiantes e animados nesse tipo de negócio.

Nesse sentido, uma pesquisa desenvolvida pela FIPE (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), e apresentada pela revista Exame, mostrou que aconteceu um aumento no lançamento (5,2%) e venda (9,4%) de imóveis no ano passado, em 2018. E a tendência é que esse movimento se torne ainda mais forte até o final do ano de 2019 e assim por diante.

A preferência vem sendo os imóveis de luxo e as unidades menores e mais compactas, principalmente nos grandes centros urbanos. Em regiões menos urbanas, a aposta são os condomínios-clube e as propriedades “pay-per-use”.

Quais são os principais tipos de investimento imobiliário?

O cenário econômico apresenta sinais positivos de melhora. Desse modo, é comum que as pessoas passem a investir no ramo imobiliário, aplicando seus recursos financeiros nesse tipo de negócio. Diante desse fato, é importante estar atento a cada um dos tipos de investimentos disponíveis. Assim, é possível definir aquele que mais se encaixa no seu perfil. Confira, a seguir, as principais opções.

Imóveis na planta

A aquisição de um imóvel na planta permite um maior planejamento do espaço e a sua personalização, ou seja, o futuro proprietário pode definir a metragem, o revestimento e o acabamento, por exemplo. Além disso, o pagamento pode ser facilmente diluído, ou seja, pode ser pago por um tempo mais longo e com mensalidades com preços menores. É uma forma de facilitar a compra e deixar o pagamento mais flexível para o comprador.

Imóveis usados

As vendas de imóveis usados também são outro investimento bastante promissor. Geralmente, os preços são um pouco mais baixos e a estrutura se encontra conservada assim como se fosse um imóvel novo.

Da mesma forma, há a permuta de imóveis usados que se dá com a troca de propriedades que apresentam o mesmo valor. Entretanto, é possível que o proprietário receba junto com o imóvel que foi trocado uma determinada quantia de cerca de 50%.

Imóveis para locação

Muitos investidores adquirem um imóvel para fins de locação. Assim, eles recebem um aluguel mensal, o que garante uma renda passiva todos os meses. Caso o imóvel seja bem localizado e apresente pontos positivos, sofrerá valorização ao longo do tempo. É uma das melhores modalidades para obter renda.

Imóveis financiados

O financiamento é uma excelente alternativa para quem ainda não dispõe de uma reserva financeira, mas deseja ter uma renda extra. Além disso, é possível pagar a entrada do imóvel financiado por meio dos valores que se encontram arrecadados no FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço).

Ainda assim, a forma de financiamento escolhido também estipula facilidades e benefícios no pagamento (sistema de amortização constante ou sistema de amortização crescente, por exemplo). Desse modo, após verificar as chances de valorização do imóvel em curto prazo, o financiamento é escolhido como a melhor opção.

Imóveis de luxo

É uma forma de investimento segura e promissora, com altas chances de lucro e rápido retorno financeiro. Isso se deve à alta valorização que esse tipo de imóvel ganha ao longo do tempo. Assim, a possibilidade de ganhos por meio de aluguel ou venda do bem acaba se tornando bastante vantajosa.

Afinal, estamos falando de consumidores que apresentam um alto padrão de vida e boas condições financeiras. Nesse sentido, eles não costumam ser afetados diretamente com eventuais crises e instabilidades da economia nacional.

Esses imóveis são construídos com a mais alta qualidade de materiais. Há um grande cuidado com a localização, o acabamento, revestimento, iluminação, áreas de lazer, ventilação e temperatura, bem como outros recursos para trazer conforto e sofisticação ao ambiente. Tudo isso aumenta o potencial de valorização do bem.

Quais são as vantagens de cada investimento imobiliário?

O mercado imobiliário proporciona muitos negócios lucrativos. Conheça a seguir as principais vantagens de realizar uma aplicação imobiliária.

Segurança

O investimento imobiliário apresenta uma grande estabilidade, ou seja, há uma maior garantia contra eventuais perdas do capital que foi investido. E a razão é simples: esse tipo de negócio protege o capital investido contra a alta da inflação.

Desse modo, mesmo em cenários de crise econômica, o bem imóvel continua como propriedade do investidor ou proprietário e ainda consegue ser negociado com uma relativa margem de lucro. Isso porque os imóveis são coisas tangíveis e que apresentam um valor agregado.

Rentabilidade

A lucratividade obtida por meio do investimento imobiliário é alta por diversos motivos, dentre os quais a correção da taxa de juros. Nesse sentido, o proprietário sempre acaba sendo beneficiado com uma rentabilidade atrativa.

Variedade

Há uma grande variedade de alternativas para investimento: alugar, vender, aplicar em títulos imobiliários etc. A opção vai depender do perfil e o interesse dos investidores.

Liquidez

A liquidez do imóvel também é considerada alta e vai depender principalmente das características da região onde está localizado o imóvel: opções de comércio, boa infraestrutura, rede de transporte público etc.

Valorização

A valorização agrega valor ao imóvel ao longo do tempo e também graças à realização de construções e reformas. Para ter a certeza de que o imóvel será valorizado é importante verificar questões como acessibilidade, localização e serviços na região.

Quer dicas para investir em imóveis?

Você vai conhecer, a seguir, algumas estratégias para obter sucesso durante o processo de investimento no mercado imobiliário.

Mantenha uma postura proativa

Mesmo após a realização dos primeiros investimentos e aplicações, é importante ficar atento ao desempenho delas no mercado. Da mesma forma, isso não significa que as demais aplicações darão certo. Por isso, é essencial manter uma atitude proativa e elaborar estratégias a fim de continuar buscando o lucro. Trata-se, inclusive, de uma regra que ajuda a conquistar um crescimento gradual dos rendimentos.

Diversifique as formas de investir

Variar as maneiras de investimento é importante para aumentar a carteira e obter maiores resultados. Geralmente essa prática vai sendo adquirida ao longo do tempo, quando já se tem mais conhecimento e experiência no assunto.

Considere os custos embutidos no investimento

Existem custos que não estão incluídos no valor líquido do imóvel, como o ITBI (Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis) e as despesas relativas à emissão de documentos (certidões negativas) e escritura pública. Pode haver ainda as despesas de corretagem para quem utiliza imobiliária ou corretor como o intermediador. As taxas chegam a alcançar uma média de 10% do valor total do imóvel.

Estipule a melhor forma de pagamento

Verifique as formas de pagamento disponíveis. Geralmente, o pagamento à vista costuma ser uma boa opção, pois são concedidos descontos. Entretanto, o ideal é verificar cada caso de maneira individual. Pode ser que o melhor negócio seja aplicar o capital em fundos de investimento em vez de adquirir imóveis.

Como você pôde perceber, o investimento imobiliário é uma excelente opção para quem busca um negócio com alta rentabilidade, segurança, liquidez e variedade. As perspectivas para o futuro são positivas e promissoras, embaladas pela promessa de melhoras na economia. Portanto, antes de se lançar nesse ramo, a dica é pesquisar bem sobre os tipos de investimento disponíveis, as características de cada um e as estratégias que serão utilizadas.

Se você seguir as dicas deste artigo vai conseguir bons frutos em investimentos. Quer saber mais sobre o assunto? Entre em contato com a Viapark Urbanismo! Somos uma empresa voltada para o desenvolvimento de empreendimentos urbanísticos de modo eficiente e inovador, respeitando o meio ambiente e a legislação, entregando aos clientes uma experiência real maior que suas expectativas.

Deixe uma resposta

Open chat
Powered by